Federação Paulista de Golfe

Notícias

  • Home >>
  • notícias
quinta-feira 02 de maio de 2019

Paulistas são destaque no Sul-Brasileiro, de 6ª feira a domingo, em Porto Alegre

Torneio do ranking mundial reúne 9 dos Top 10 do Brasil e 3 das Top 4 do feminino

 

Bandeira PACC

(reportagem atualizada para retirar o nome de Lauren Grinberg que aparece erroneamente no horário de saídas desde quarta-feira e não foi corrigido até às 10h44 desta quinta-feira)

Com seis dos 9 top 10 do Brasil em campo, no masculino, e quatro das seis favoritas, no feminino, os jogadores da Federação Paulista de Golfe (FPG) são destaque no 69º Campeonato Sul-Brasileiro, que começa nesta sexta-feira, 2 de maio, no Porto Alegre Country Club, reunindo a elite do golfe brasileiro da atualidade e campeões de várias gerações. O torneio, que prossegue até domingo, é um dos mais fortes e tradicionais do país e que vale pontos para o ranking mundial amador de golfe (WAGR).

O gaúcho Andrey Xavier, do Belém Novo, número 1 do Brasil, que venceu duas etapas do Tour Juvenil e vem de cinco Top 5 consecutivos em 2019, enfrenta os jogadores com melhores resultados nos últimos meses, como Thomas Choi, do São Paulo, campeão do Aberto de Brasília, em abril, o primeiro grande torneio do ano; Lucas Park, do Paradise, vice-campeão no Distrito Federal; Daniel Kenji Ishii, do Itanhangá, número 2 do Brasil, vice-campeão do Sul-Brasileiro em 2018; e juvenis de ponta como Matheus Park, do Paradise, e Gui Grinberg, do São Paulo. Felipi Rossi, do São Paulo, é o outro Top 10 em campo.

Retornos - Eduardo Vasconcelos, do Gávea, que não compete fora de casa há quase um ano, defende o título que ganhou no Sul-Brasileiro de 2018. Quem também reaparece é Pedro Nagayama, do São Fernando, campeão de três torneios em 2018, que este ano jogou apenas no Latin American Amateur Championship, em janeiro, mas foi vice-campeão do Sul-Brasileiro, em 2017, e sexto no ano passado.

Outro destaque será a apresentação de Leonardo Conrado, campeão do Sul-Brasileiro em 1993, 2009 e 2010, e número 1 do Brasil em 2013, que abandonou as competições cinco anos atrás para se dedicar à profissão. Quem também estará em campo seu pai, Ricardo Conrado, outro múltiplo campeão do Sul-Brasileiro, onde venceu pela primeira vez em 1991, aos 41 anos. Outros campeões do passado em campo serão Daniel Dias, que já foi considerado invencível jogando no Country, e Octavio Villar, o Fanta, outro que hoje só compete regionalmente.

Estrangeiros – Os estrangeiros, que sempre foram uma atração à parte no Sul-Brasileiro, desta vez estarão representados por dois argentinos: o juvenil Manuel Lozada, que vem de dois títulos importantes, no Torneo Amistad Internacional, e no El Federal, e de um terceiro lugar no Campeonato Juvenil Internacional de Córdoba, onde Matheus Park foi o campeão.

O outro é Juan Garmendia, campeão do Sul-Brasileiro em 2013, ano quem que venceu também em Brasília, e que, apesar de ter parado de competir em torneios do WAGR ainda foi sexto colocado do Sul-Brasileiro, em 2016.

Feminino - No feminino, a favorita é a número 1 do Brasil, Laura Caetano, de Brasília, segunda melhor brasileira do Amador do Brasil de 2018, que vem de uma vitória de ponta a ponta, em casa, no meio de abril. Outros destaques do feminino são Manoela Barcellos, do Campo Olímpico, número 3 do ranking, e Fernanda Lacaz, do São Fernando, a quarta da lista. Ana Sung Marques, do Arujá será a quinta Top 10 do Brasil em campo.

Beatriz Junqueira, do Itanhangá, que voltou recentemente de um longo afastamento por contusão, não irá defender o título ganho em 2018. Destaque ainda para Meilin Hoshino, do São Paulo, a juvenil número 1 do Brasil.

Ranking Mundial - Uma das grandes expectativas é que esse possa ser o primeiro torneio feminino adulto do Brasil que seja efetivamente válido para o ranking mundial amador em quase nove meses. O último a atingir índice técnico para isso – a campeã tem que jogar no máximo 18 acima em três dias – foi o Aberto da Federação Paranaense e Catarinense de Golfe, em agosto de 2018, reduzido para dois dias por causa do mau tempo. Lauren venceu com duas voltas de 67.

Depois daquele torneio no Paraná, apenas duas competições juvenis atingiram o índice técnico para pontuar para o WAGR feminino no Brasil: o Campeonato Juvenil de São Paulo, em dezembro de 2018, e o Tour Juvenil de SP, em janeiro de 2019. Por causa disso, o Brasil tem 27 golfistas no ranking mundial masculino e apenas cinco no feminino.