Federação Paulista de Golfe

Notícias

  • Home >>
  • notícias
domingo 26 de maio de 2019

Honda Open – Aberto do Ipê: Matheus Park vira jogo para ser bicampeão em Ribeirão Preto

Pedro Nagayama completa pódio. Maria Silveira leva título feminino. Evento termina com show

 

Matheus Park comemora título do Honda Open - Aberto do Ipê. Fotos: Ricardo Fonseca/F2 Comunicação

Matheus Park comemora título do Honda Open – Aberto do Ipê. Fotos: Ricardo Fonseca/F2 Comunicação

Ainda não foi desta vez que Matheus Park encontrou um antídoto para sua kriptonita, o buraco 17 do campo de Ribeirão Preto, que já lhe custou dois títulos. Mas desta vez nada conseguiu parar o jogador de 17 anos, que a despeito de fazer um triplo bogey-8 nesse traiçoeiro par 5, com fora de campo à esquerda, do tee ao green, e água no meio da raia, jogou três abaixo do par e melhor volta de todo o torneio para conquistar o bicampeonato no Honda Open – 18º Torneio Aberto do Ipê Golf Club por sete tacadas de vantagem. O torneio jogado sexta e sábado, 24 e 25 de março, valeu para os rankings da Federação Paulista de Golfe (FPG).

Veja, no final do texto, as fotos em alta definição da premiação

O desastre do buraco 17 foi única mácula no cartão final de Matheus, de 17 anos, que teve cabeça para superar todas as adversidades que encontrou pelo caminho e ainda fazer uma volta insofismável. Foram seis birdies, quatro na primeira metade do campo e dois na segunda, incluindo o do buraco 18, onde embocou de longe, em descida, para afastar qualquer dúvida de que se estava na frente de um talento a quem todos são obrigados a aplaudir e reverenciar.

Virada No primeiro dia, Matheus dividiu a liderança até o buraco final, quando viu o grande lago que defende toda a entrada do green do 18 engolir sua bola, para não escapar de um duplo bogey e começar o torneio perdendo por duas. Na volta final, tudo mudou. Com a cabeça centrada, drives longos, tacadas de aproximação certeiras e putts precisos, abriu o sábado com dois birdies consecutivos e fez mais dois nos buracos 8 e 9, para jogar quatro abaixo de ida. Com mais um birdie no 12, de par 3, chegou a cinco abaixo e a uma vantagem decisiva, que nem o triplo no 17, onde bateu a primeira para fora de campo e ainda errou a raia e o green com as tacadas seguintes, conseguiu ameaçar.

Ainda abalado com o novo percalço no 17, onde já fizera um quíntuplo bogey-10 para entregar cinco tacadas de vantagem num torneio juvenil, e um quádruplo bogey-9, num torneio adulto, Matheus não se intimidou no 18 onde bateu um drive que deixou a bola muito perto do lago, de onde deu um excelente tiro para o green, o que lhe rendeu o birdie final. Matheus foi campeão com 143 (74-69) tacadas, uma abaixo do par, e comemorou a conquista abraçado com o irmão mais velho, Lucas Park, que teve que abandonar o jogo na metade do primeiro dia, mas não arredou pé do seu lado.

Destaques – Pedro Nagayama, voltando a competir após longa contusão, foi líder do primeiro dia, mas não conseguiu repetir a boa atuação da volta de abertura, quando fez quatro birdies consecutivos, para estrear no par do campo. Desta vez, fez um único birdie para jogar seis acima, e ser o vice-campeão com 150 (72-78) tacadas. Marcos Negrini, do Damha, que trabalha num novo swing e ainda se sentia perdido de driver na mão – fez dois duplos bogeys em pares cinco –, ficou em terceiro, com 154 (78-76), seguido por Rafael Rodrigues Lian, quarto colocado e melhor jogador do Ipê, com 160 (84-76).

Na classificação da categoria com handicaps índex até 8,5, o campeão foi João Paulo Peres, do Quinta do Golfe, com 151 (78-73) tacadas, seguido por Negrini, com 152 (77-75), que levou o troféu de vice-campeão no desempate contra Thiago Sandoval, do Ipê, que ficou em terceiro, também com 152 (76-76), mas parcial maior no último dia.

Mais premiados - Na 8,6 a 14, dobradinha do Ipê, com Fábio Rosa campeão com 142 (68-74) tacadas, seguido por Jose Carlos Marum, do Ipê, com 143 (66-77), que teve seu handicap reduzido em duas tacadas para o segundo dia conforme recomendação da Comissão de Handicap Índex da FPG, para resultados 4,5 ou mais tacadas abaixo da média entre o par e o course rating do campo. Ademir Mazon, do Sapezal, terminou em terceiro, com 145 (72-73).

Na 14,1 a 19,4, pódio só do Ipê, com Antônio de Barros Junior campeão com 146 (77-69) tacadas, seguido por Sergio Figueredo, que ficou em segundo nos critérios de desempate, com 146 (71-75), e por Caio Whitaker, com 150 (74-76). E na 19,5 a 25,7, o campeão foi Valdemir Prado, do Ipê, com 134 (71-63) tacadas, outro que terá seu índex ajustado para baixo por ao menos seis meses, devido ao resultado muito abaixo da média na volta final. Serginerio Vanderlinde, do Riacho Grande, foi o vice, com 139 (67-72), seguido por Adalton Santini, do Ipê, com 144 (76-68).

Houve ainda uma categoria especial, para handicaps de 25,8 a 36, no sistema stableford, onde só deu Ipê no pódio. Ricardo Lutti foi campeão com 68 pontos, seguido por Fernando Margarido e Rafael Salomão Prado, ambos com 66. Fernando levou o troféu de vice-campeão por ter somado mais pontos na volta final.

Feminino - Maria Aparecida da Silveira, de Bauru, continuou a ser destaque nos torneios do interior paulista ao ser a campeã geral do Ipê, com 175 (88-87) tacadas, seguida por Cristina Rosel, do Damha, com 181 (93-88). Na classificação por índex até 16, Laurita Cervi, do Ipê, venceu com 149 (75-74), seguida por Monica Marques Fontes, também do Ipê, com 169 (85-84). Já na 16,1 a 25,7, outra dobradinha do Ipê, com Sofia Guggisberg campeã, com 146 (77-69), e Rosvita Vianna vice, com 147 (78-69). Cecilia Azevedo, do São Paulo, ficou em terceiro, com 153 (79-74).

Ninguém conseguiu embocar de primeira nos buracos 5 e 12 e levar os excelentes prêmios oferecidos pela Honda para quem fizesse um hole-in-one; um carro Civic Touring e uma moto SH 300i, respectivamente.

Premiação – Mauro Batista, diretor executivo da FPG, comandou a entrega de prêmios que teve a mesa formada por Enoch de Paula, presidente do Ipê, pelo capitão André Balau e por seu vice, Matheus Castelli; pelos vice-presidentes da FPG Ademir Mazon (Desenvolvimento e Novos Projetos) e José Geraldo Dontal (Administrativo-Financeiro); e por Umberto Carvalho, representando a Honda.

Também compuseram a mesa os patrocinadores Eduardo Cury, da Resolv, e Douglas Cintra, da Cityar. O torneio teve ainda patrocínios de Wyndhan Gardem Hotel, Midea, e Carrier, e da Buenos Wines, que ofereceu degustação de vinhos e espumantes durante a festa de encerramento e ofertou espumantes Desirée aos ganhadores de todas as categorias. A noite terminou com show da banda New Girls.

Fotos da premiação: clique uma vez para abrir e outras para ir ampliando a imagem