Federação Paulista de Golfe

Notícias

  • Home >>
  • notícias
segunda-feira 24 de junho de 2019

Aberto do Gávea – Matheus conquista seu 1º título em torneio adulto do ranking mundial

 Nagayama ficou em terceiro e Choi, Grinberg e Pepê terminaram entre os Top 10

 

Matheus Park trofeu GGCC foto FGERJ

 Matheus Park, do Paradise, com o troféu de campeão. Foto: FGERJ

Apesar de um quádruplo bogey-8 no penúltimo buraco, o juvenil paulista Matheus Park conseguiu fechar o dia com um birdie para jogar uma abaixo do par no dia e três abaixo no total e vencer, por uma tacada de vantagem, o Aberto do Gávea Golf & Country Club, encerrado neste domingo, 23 de junho, no campo de São Conrado, no Rio de Janeiro, (RJ). O torneio de três dias válido para o ranking mundial amador de Golfe (WAGR) e para o rankings nacional, reuniu seis dos sete melhores golfistas do país e serviu de preparação para o Honda Open – Aberto Bandeirantes, que será jogado de sexta a domingo desta semana, 28 a 30 de junho, no Clube de Campo de São Paulo.

Líder por quatro tacadas após o primeiro dia, quando fez seis birdies para jogar 64, cinco abaixo do par e melhor volta de todo o torneio, Matheus Park, do Paradise, de Mogi das Cruzes (SP), perdeu terreno no segundo dia, quando terminou com quatro acima, vítima de outro quádruplo bogey, desta vez no buraco 6, um par 3 com green elevado, lembrado o topo de um bolo. Com isso, caiu para o terceiro lugar, empatado com Pedro Nagayama, do São Fernando, e Daniel Kenji Ishii, do Itanhangá, os dois únicos com voltas abaixo do par nos dois primeiros dias, todos com uma abaixo no total.

Os novos líderes, com duas abaixo, eram Gui Grinberg, do São Paulo, que vinha de vitórias no Honda Open – Aberto do PL e na Faldo Series Sul-Americana, e fez 10 birdies nos 36 primeiros buracos, e Plínio Guimarães, do Gávea, que jogou três abaixo, a melhor volta do sábado, para ganhar um lugar no pelotão, ao lado de Gui e de Kenji. Andrey Xavier, do Belém Novo, número 1 do Brasil, que buscava sua primeira vitória em 2019 em torneios nacionais e do ranking mundial, vinha apenas em sexto, cinco atrás dos líderes.

Decisão - Gui perdeu a liderança logo no primeiro buraco, onde fez um triplo bogey-7 e não se recuperou mais. Jogou quatro acima na volta final caindo para o sexto lugar. Plínio começou com bogey no 2, jogou uma acima de ida e quatro acima de volta, para empatar em sexto com Gui. Matheus recuperou a liderança ao abrir a volta de domingo com dois birdies nos três primeiros buracos, e não a perdeu mais, embora tenha cedido empate para Andrey, ao fazer o quádruplo bogey no buraco 17, um par 4 em subida. Andrey, que jogava ao seu lado, fez bogey no 17, mas viu Matheus fazer seu 12º birdie da semana – além de um eagle – para ser campeão com 205 (64-73-68) tacadas, duas abaixo no total. Esse foi o terceiro título seguido de Matheus, que vinha de vitórias no Honda Opne- Aberto do Ipê e na etapa do Juvenil de SP, também no Ipê.

Andrey chegou a cinco abaixo no domingo, após um eagle-3 no buraco 13, e devolveu uma tacada nos buracos finais para ainda fazer a melhor volta do domingo e ser vice-campeão com 141 (68-73-65) tacadas, uma abaixo. Naga fez um birdie no 18 para terminar sozinho em terceiro, com 207 (69-68-70) tacadas, no par do campo. Kenji terminou em quarto, com 208 (69-68-71), uma acima, seguido por Bernardo Willemsens, que terminou em quinto, como melhor jogador da casa, com 142 (72-70-67).

Mais destaques - Thomas Choi, do São Paulo, não se destacou nas duas primeiras rodada, mas igualou a melhor volta do domingo para ainda ficar sozinho em sexto, com 210 (71-74-65) tacadas, empatado com Plínio (70-66-74) e Gui (69-67-74). Outros destaques do torneio foram Pedro da Costa Lima, do São Paulo, nono colocado com 218 (76-72-70); Marcelo Stallone, do Gávea, 13º com 221 (74-76-71) e Roberto Gomez, do Clube de Campo, 16º, com 232 (72-79-81)

Na classificação pro handicaps índex até 8,5 Bernardo Willemsens foi campeão com 197, dez abaixo, seguido por Plinio Guimarães, com 207. Na 8,6 a 18,8, Oscar Faria Filho venceu com 136, seguido por Afonso Guimarães e Jorge Delaura, ambos com 140.