Federação Paulista de Golfe

Notícias

  • Home >>
  • notícias
sexta-feira 09 de agosto de 2019

Lima 2019: Alexandre Rocha e Nina Rissi mantêm esperanças de medalhas do Brasil

Adilson da Silva e Luiza Altmann não conseguiram se recuperar da má estreia no Pan

 

por | Ricardo Fonseca

Rocha em ação no Lima Golf Club. Foto: Alexandre Loreiro/COB

Rocha em ação no Lima Golf Club. Foto: Alexandre Loreiro/COB

Com 36 buracos jogados, apenas o profissional paulista Alexandre Rocha, e amadora Nina Rissi, a “espanhola”, mantêm acesas as chances de o Brasil ainda lugar por uma medalha no golfe destes Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Ambos permanecem entre os Top 10 com mais 36 buracos a jogar e dependem de uma boa atuação neste sábado, 10 de agosto, para ter pelo que lutar na volta final. Já Adilson da Silva e Luiza Altmann, que completam a delegação brasileira, permanecem nas últimas colocações e dependem de um “milagre” para ser recuperar.

Rocha fez três birdies na rodada, mas aproveitou apenas um dos quatro pares cinco do campo, e fez um bogey no 18, seu nono buraco do dia, para jogar duas abaixo, melhor do que na véspera, e somar 139 tacadas (70-69), três abaixo do par, ainda em décimo lugar. O problema é que está a dez tacadas do líder, o amador americano Brandon Wu, que se isolou em primeiro com 129 (64-65) tacadas, e a seis tacadas das demais medalhas, que vão sendo levadas pelos profissionais Fabrizio Zanotti, do Paraguai, com 131 (64-67) e Miguel Angel Carballo, da Argentina, com 133 (68-65). O gaúcho Adilson da Silva, melhorou com relação à véspera, mas está em 27º lugar entre 32 jogadores, com 146 (75-71)

Feminino – No feminino, Nina Rissi, que mora na Espanha, voltou a jogar uma acima do par e subiu um pouco na tabela e agora aparece em sétimo, empatada com mais duas jogaras, com 144 (72-72) tacadas, duas acima do par. A brasileira fez quatro birdies, mas dois bogeys em pares cinco e mais três seguidos em pares 4, nos cinco buracos finais.

Nina está agora a seis tacadas da nova líder, a amadora americana Emilia Migliaccio, que soma 138 (70-68) e a três tacadas das demais medalhas, que estão ficando para duas jogadoras empatadas em segundo, com 141, a mexicana Alejandra Llaneza e a profissional paraguaia Julieta Granada. Já a profissional Luiza Altmann voltou a jogar mal e caiu para o 28º lugar, com 155 (76-79), vítima de um triplo bogey-8 e de um duplo bogey, num dia onde voltou a fazer apenas um birdie.

Equipes – Na competição de duplas mistas, onde vale o melhor resultado masculino e o melhor feminino, de cada país, a cada dia, o Brasil ganhou uma posição e está em nono lugar entre 15 participantes com 283 tacadas (uma abaixo). Os EUA lideram com 267 (17 abaixo) seguidos pelo Paraguai com 272 (12 abaixo) e pelo Chile, com 276 (oito abaixo). Os jogos estão acontecendo no Lima Golf Club, de par 71 (35-36) e 6801 jardas para os homens e 5.963 jardas para as mulheres. São nove medalhas em disputa nas categorias masculina, feminina e de duplas mistas.